Preservação

Na Temática Preservação, a proposição é “A regionalização e a formação do patrimônio audiovisual brasileiro”. Com curadoria de Ines Aisengart Menezes e José Quental, o recorte destacará ações e políticas regionais direcionadas à preservação do patrimônio audiovisual brasileiro tendo por base os arquivos regionais mantidos descentralizados. Quais são os desafios enfrentados por instituições de salvaguarda que não estão no centro das ações públicas federais? Nesse percurso, os debates pretendem investigar a construção do território e da noção de “regional” numa perspectiva histórica. Entre as periferias e o centro do poder econômico, político, cultural, de que forma se quer e se pode construir um patrimônio audiovisual?

Como foco no tema da regionalização, o Encontro de Arquivos traz quatro discussões. Uma em torno de políticas regionais para a preservação audiovisual, com representantes de estados e municípios, que compartilharão ações e políticas para proteção e valorização do patrimônio audiovisual. Ainda, pretendemos proporcionar reflexões em torno da construção de uma historicidade da produção regional, a reflexão do conceito de ciclos regionais e seus desenhos de preservação e valorização. Também, representantes de arquivos brasileiros debaterão a difusão e a formação de plateias, sobretudo em torno da produção de suas regiões. Por fim, ampliaremos a discussão da regionalização para a esfera internacional com a diretora da Cinémathèque de Bretagne, que possui um dos acervos regionais mais importantes da França.

Em continuidade com os diálogos entre arquivos e mercado, uma proposição de edições anteriores, e atendendo à demanda de associados da ABPA, duas discussões estarão em questão: a preservação audiovisual frente às tecnologias digitais e as plataformas de difusão de Vídeo sob demanda (VoD). Para a primeira mesa, espera-se discutir o impacto do advento do digital e convergências entre as necessidades da preservação. Para a segunda, além da apresentação de iniciativas brasileiras de VoD, espera-se a criação de um diálogo com os arquivos audiovisuais – e eventualmente diversificar e aumentar o escopo da carteira de tais plataformas.

Com a inauguração de um novo formato, de apresentações sucintas de estudos de caso, pretende-se dar visibilidade a três importantes projetos em torno do patrimônio audiovisual e apresentar dois estudos de caso de filmes em exibição na Mostra Preservação que será composta de três sessões. Serão apresentados o longa-metragem Rio da Dúvida, de Joel Pizzini (2018); cinco curtas-metragens da Caravana Farkas; e curtas-metragens do acervo da Cinémathèque de Bretagne.

Ainda que não contemplado diretamente em debates, lançamos questões para o Encontro de Arquivos: em um momento de mudanças acarretadas pelo estabelecimento de um novo governo, de que forma o patrimônio audiovisual brasileiro é afetado? A atuação na preservação do patrimônio é uma ação essencialmente política, que ganha agora novas cores e desafios. O Brasil não nos quer? A proposição de Drummond é atualizada na falta de resposta aos recentes incêndios, no recente desmonte de universidades públicas e, mais profundamente, na diluição dos direitos humanos.