Presença Internacional

TEMÁTICA PRESERVAÇÃO

BILL MORRISON (EUA) – diretor, produtor, escritor e editor 

Bill Morrison
Foto: Wolfgang Wesener

Multiartista que trabalha na fronteira entre as artes plásticas e o cinema. Realiza obras para museus, galerias e salas de exibição de festivais e cinematecas. O principal interesse de seus trabalhos – e que torna o realizador um “artista arqueólogo”, definição constante sobre sua atuação na área – é justamente a preservação, sempre com o uso de fragmentos de filmes, suportes em decomposição e imagens do passado reconfiguradas. Olhando para o cinema como uma reunião de imagens mitológicas, Morrison se vale de incontáveis acervos à disposição para desenvolver seus projetos no audiovisual. 

Na 13a CineOP, o multiartista vai exibir o longa-metragem Dawson City – Tempo Congelado, filme de 2016 que tem percorrido importantes festivais em todo o mundo. Morrison faz uso de uma coleção de 533 filmes, realizados entre as décadas de 1910 e 1920, que estiveram perdidos por 50 anos e foram encontrados numa escavação na região ártica do Canadá. Munido dessas imagens, o cineasta reconta a corrida do ouro na região a partir de registros históricos do Círculo Ártico nunca vistos até então.

Além da exibição de Dawson City – Tempo Congelado, Bill Morrison vai ministrar uma master class com o tema “Processo de Criação, Pesquisa e os Arquivos Audiovisuais. No encontro, o norte-americano vai conversar sobre seus trabalhos no uso de imagens de arquivo de diversas naturezas, tanto na conservação quanto na apropriação em trabalhos de montagem e reconfiguração de sentidos que marca a sua obra.

 

JUANA SUÁREZ (EUA) – professora, pesquisadora, crítica, arquivista

Juana Suárez
Foto: Acervo Pessoal

 Atua com pesquisas na área de arqueologia fílmica, memória audiovisual e estudos fílmicos latino-americanos. Organizadora e participante do APEX (Archival Exchange Program). Professora no departamento de Estudos de Cinema da New York University’s Tisch School of the Arts,

Juana vai participar, durante a 13ª CineOP, da mesa de debate com o tema “Fronteiras do Patrimônio Audiovisual: Formação, produção e preservação no âmbito universitário”.

Com a experiência de ter trabalhado também no Anthology Film Archives, de já ter ministrado diversos cursos sobre patrimônio audiovisual, de ter coordenado o processo de restauração dos filmes do cineasta colombiano Carlos Mayolo (1945-2007) e de ter atuado na FIAT (International Feferation of Television Archives),  e no Ministério da Cultura da Colômbia na preservação de arquivos, Juana Suárez vai compartilhar seus conhecimentos no ensino e na prática de pesquisa e manutenção de acervos a partir de disciplinas ministradas em cursos acadêmicos.

 

 

 

CÉLINE RUIVO (França) – curadora da Cinemateca Francesa e coordenadora da Comissão Técnica da FIAF

Céline Ruivo
Foto: Acervo Pessoal

Integrante e coordenadora da Comissão Técnica da Fédération Internationale des Archives du Film ( FIAF) desde 2016 e curadora da Cinemateca Francesa. Trabalhou no departamento de restauração dos laboratórios da Éclair,  participou do processo de restauração de O Atalante, longa-metragem dirigido por Jean Vigo em 1934. 

Considerado um mito da vanguarda francesa e um dos filmes de maior influência em todo o cinema mundial, O Atalante terá exibição especial na programação da CineOP, acompanhado de apresentação de Céline Ruivo sobre o processo de restauração e difusão.

Durante a mostra, Céline também vai ministrar o workshop “Fronteiras Internacionais: A Comissão Técnica da FIAF” . Em 2018 a Federação Internacional de Arquivos Fílmicos (FIAF) completa 80 anos de existência.

Criada em 1938, pela Cinemateca Francesa, Film Library do MoMA, pelo British Film Institute e pelo Reichsfilmarchiv da Alemanha, a FIAF desempenhou ao longo dessas oito décadas um papel fundamental para a proteção do patrimônio cinematográfico mundial.

Celine vai apresentar a experiência de coordenar um setor estratégico da FIAF. Seu trabalho consiste na realização de pesquisas, publicações, recomendações e ações de formação em torno de práticas de conservação, preservação e restauração fotoquímica e digital, no âmbito dos arquivos filiados à FIAF e sobre o qual ela vai apresentar detalhes durante o workshop.

 

HOWARD BESSER (EUA) - diretor do Moving Image Archiving and Preservation Program – Miap- NYU

hb-headshot3
Howard Besser
Foto: Acervo Pessoal

Professor de Estudos Cinematográficos e Diretor Fundador do Moving Image Archiving & Preservation Program (MIAP) da Universidade de Nova York, bem como Cientista Sênior de Iniciativas de Biblioteca Digital da Biblioteca da NYU. Além dos cursos da MIAP, também ministra cursos regulares de Estudos do Cinema sobre Novas Mídias, Arte de Instalação e o Futuro do Cinema e Cultura Livre & Acesso Livre. Seus projetos de pesquisa na NYU envolvem a preservação da televisão pública digital, a preservação e acesso digital à performance de dança, a preservação de trabalhos eletrônicos difíceis, além de questões sobre direitos autorais e “fair use”, mídia faça-você-mesmo e a natureza mutável da mídia com o advento de sistemas de entrega digital.

 

 

 

 

 

 

 


TEMÁTICA EDUCAÇÃO

JORGE LARROSA (Espanha) – professor, autor e ensaísta

Jorge Larrosa
Foto: Arquivo Pessoal

Professor de Filosofia da Educação, tem estudos e pesquisas nas relações da experiência com linguagem, subjetividade e ensino. Atualmente se dedica às materialidades e práticas que constituem dispositivos pedagógicos (escolas, bibliotecas e museus, entre outros). Tem transitado entre diversas manifestações artísticas, especialmente as artes plásticas, e é autor de livros sobre as relações da criação com a educação.

Na 13ª CineOP, Larrosa vai ministrar um workshop internacional com o tema “Revelação da Escola” com conteúdo e enfoque no cinema e arte como procedimentos para revelar ou trazer à presença a materialidade e forma da escola (seus espaços, seus tempos, seus objetos, suas atividades, seus sujeitos, seus gestos). Cinema e arte como procedimentos para desenvolver um olhar amoroso da escola e transformar a escola em objeto de estudo, ou seja, de atenção e cuidado. Os conceitos a serem desenvolvidos em relação ao cinema e à arte serão: revelação, presença, materialidade, forma, gesto, amorosidade, atenção e estudo. 

Na programação, Larrosa participa também da sessão dos filmes que acompanham o livro Elogio da Escola(2017), que será lançado no evento, cuja proposta é repensar e valorizar a escola como tempo livre e espaço publico. Em 2016,   Larrosa gravou um Abecedário de educação chamado O de ofício de professor, que também será exibido e comentado pelo autor.

Uma terceira atividade de Larrosa na 13ª CineOP será a participação na mesa “Um plano, uma aula”, junto com o cineasta Walter Carvalho. Os dois vão discorrer sobre a noção de “plano” no âmbito do cinema e do ensino: plano de aula como roteiro-guia do docente, que o liberta para formar o quadro, a imagem, o imprevisto, a síntese de seu olhar preparado, atento e sensível ao mundo; de outro lado, o plano de cinema como a unidade menor de sentido num filme, levando-o, no conjunto, a toda a sua potência.

  

CECILIA ETCHEVERRY e CECILIA CIRILLO (Uruguai) – representantes do programa CINEDUCA, do Uruguai

Cecilia Etcheverry
Foto: Acervo Pessoal

 O Programa uruguaio CINEDUCA foi criado como um projeto de investimento e inovação educacional em 2009, visando proporcionar educação audiovisual a todos os alunos e professores do Conselho de Treinamento em Educação (CFE), instituição responsável pela formação de profissionais de educação em seu país. Responsável pela coordenação pedagógica do CINEDUCA, Cecilia Etcheverry é uma das representantes da organização na 13ª CineOP. Com especialização em instituições de mundiais de renome, como Universidade de Cambridge e FLACSO na Argentina, desenvolveu pesquisas com cinema em cursos e oficinas da Cinemateca Uruguaia onde realizou experiências em educação audiovisual com crianças e adolescentes. A coordenadora técnica do CINEDUCA Cecilia Cirillo completa o time de representantes da organização no evento.

Com suas vivências na coordenação do programa Cineduca, que atua especialmente no desenvolvimento de habilidades em educação e comunicação audiovisual como uma parte constituinte do professor, promovendo ferramentas e sensibilidades de compreender e expressar essa linguagem, as profissionais uruguaias  participarão dentro da programação da 13ª CineOP da mesa “Cinema e Educação: A Escola no Cinema”, que propõe discutir a escola no cinema como uma possibilidade sensível de reflexão crítica e criativa.  

Cecilia Cirillo
Foto: Acervo Pessoal