07/09 | segunda | 18h

A preservação sob a ótica da fotografia no cinema

Lauro Escorel é hoje um dos mais notáveis e atuantes diretores de fotografia do cinema brasileiro, com extensa e prestigiada carreira – incluindo obras como “São Bernardo” (1971, de Leon Hirszman), “Mar de rosas” (1977, de Ana Carolina), “Bye bye Brasil” (1979, de Cacá Diegues), “Eles não usam black tie” (1981, de Hirszman) e “Uma vida em segredo” (2003, de Suzana Amaral). Sua importância para o cinema também se dá pela direção – seu filme mais recente, “Fotografação”, está em destaque nesta edição da CineOP. Atuou como supervisor técnico em diversos projetos de restauração, com destaque para as obras de Leon Hirszman e de “Cabra marcado para morrer”, de Eduardo Coutinho. Escorel possui um rara sensibilidade à questão da preservação. Neste debate, Escorel poderá compartilhar algumas reflexões sobre a sua experiência no cinema, contemplando a importância da preservação e das instituições de patrimônio audiovisual.

 

Convidado:

  • Lauro Escorel – diretor de fotografia|RJ

 

Mediador: José Quental – curador Temática Preservação | RJ