Documentário | Colorido | Digital | 22 min | BOLÍVIA | 2018

Direção: Miguel Hilari

Sinal Disponível: 22/06 às 14:00 até 05/07 às 23:59


Programação

LONGA E CURTA | MOSTRA EDUCAÇÃO 25/06 | sábado | 18h

SINOPSE

Com a marca da sensibilidade e do tempo característico de sua obra, Bocamina é filmado na cidade histórica de Potosí, com foco no Cerro Rico (montanha próxima à famosa cidade colonial de Potosí, fundada em 1545) e suas memórias. Percebemos as reações de crianças diante a pintura Cerro Rico y de la Villa Imperial de Potosí (1758), do pintor Gaspar Miguel de Berríos (que pertence ao Museo Colonial Charcas da Universidad San Francisco Javier, em Sucre. Harun Farocki, em 2010, fez uma instalação em vídeo sobre este quadro, chamado A Prata e a Cruz. A partir dessa pintura o autor desenvolve um discurso em torno do processo de colonização europeia na América Latina e do poder econômico obtido pelo controle de seus métodos de produção. Em outras palavras, os espanhóis trouxeram a cruz e levaram a prata), assim como diante de imagens antigas das atividades dentro das minas do Cerro Rico, fortemente inspirado na sequência do filme Peões, no qual Eduardo Coutinho mostra fotografias antigas aos operários para ativar memórias. Na mina, podemos observar algo inusual: os rostos dos trabalhadores ao sair da sua “boca”. Estudantes em escolas comentam as imagens desses rostos, “pois não é preciso ser formado em Artes para poder falar dessas imagens, que nos habitam a todos e disparam coisas…”, afirma o diretor.

 

*Prêmio da competência de curta-metragem, Festival Serpentina, Arequipa 2020

FILME COM LEGENDAS EM PORTUGUÊS

 


Mais detalhes

Título original: Bocamina

Direção: Miguel Hilari

Som direto: Marcelo Gzmán

Edição: Miguel Hilari e Pablo Paniagua

Produção: Casa Nacional de Moneda

Elenco: Workers From The Pailaviri & Justicia Mines, Students Of Las Unidas Educativas Gualberto Villarroel, Jaime Mendoza & Luis Espinal Camps