Filmes

DORIVANDO SARAVÁ, O PRETO QUE VIROU MAR

Henrique Dantas


Experimental | Colorido | DCP | 86min | 2019

Ele foi o primeiro a cantar os Orixás e a introduzir o Tempo do Candomblé na música popular brasileira. Desafiou a própria morte ao se entregar nos braços de Iemanjá. Dorival Caymmi não morreu. Virou mar. Dorivando Saravá, o Preto que Virou Mar, reúne depoimentos, lembranças e reflexões de artistas como Gilberto Gil, Tom Zé, Jussara Silveira, Tiganá Santana, Arlete Soares, Adriana Calcanhotto, entre outros que desfrutaram do privilégio de terem convivido com ele, ou que regravaram sua obra. O filme aborda conceitos presentes na vida e obra de Caymmi, recriados em poéticas praieiras concebidas a partir dos seus trabalhos de pintura e composição, e apresenta falas reveladoras do compositor,

Disponível até: 07/09 ás 23h59

Classificação: Livre

Roteiro: Henrique Dantas

Empresa produtora: Hamaca Produções Artísticas

Co-produção: Canal Curta/Prodav 2

Produção executiva: Nena Oliveira, Henrique Dantas e Mariana Vaz

Direção de produção: Marcello Gurgel

Montagem: Henrique Dantas e Luciana Queiroz

Fotografia: Pedro Semanovisch, Thais Taverna, Andrea Cebukin, Hamilton Oliveira, Alberto Ianuzzi

Direção de arte: Henrique Dantas

Mixagem e edição de som: Beto Santana

Som direto: Marcello Benedictis

Elenco: Gilberto Gil, Tom Zé, Matheus Aleluia, Jussara Silveira, Tiganá Santana, Arlete Soares, Adriana Calcanhotto, BNegão, João Donato, Lucas Santana, Marina De la Riva, Paloma Amado, entre outros.

 

Este filme faz parte da nossa MOSTRA CONTEMPORÂNEA

Longas e médias que integram a Mostra:
CADÊ EDSON?, de Dácia Ibiapina
HELEN, de André Meirelles Collazzo
BANQUETE COUTINHO, de Josafá Veloso
O FILME DA MINHA VIDA, de Alvarina Souza Silva
JOSÉ APARECIDO DE OLIVEIRA – O MAIOR MINEIRO DO MUNDO, de Mário Lúcio Brandão Filho, Gustavo Brandão
A JANGADA DE WELLES, de Firmino Holanda e Petrus Cariry

 

 

 

Inscreva-se