INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE EM FILMES E DEBATES DA 16ª CINEOP

Seja na educação, cultura, tecnologia, turismo e nas mais diversas áreas, a acessibilidade tem ganhado cada vez mais força e conquistado o seu espaço. Afinal, todos têm direito a acessar serviços, locais e produtos culturais em igualdade de condições. E no cinema não poderia ser diferente. Pensando exatamente nessa ideia de proporcionar a todos o melhor que a sétima arte pode oferecer, a 16a CineOP disponibiliza em sua programação, debates, sessões de curtas e longas-metragens com recursos de acessibilidade.

Até o dia 28 de junho, encerramento do evento, os espectadores poderão acompanhar gratuitamente uma seleção diversificada com filmes de ficção, documentários e animações. Para conferir as produções com acessibilidade, basta acessar o link.

Mostra Contemporânea | Longa – “Operação Camanducaia”, do diretor Tiago Rezende de Toledo.Numa mistura dos estilos road-movie, investigativo e filmes de diálogos, este documentário busca reconstituir as memórias afetivas e históricas, as motivações e as consequências da Operação Camanducaia, episódio de 1974 no qual a polícia de São Paulo apreendeu de suas ruas e abandonou em Minas Gerais um grupo 93 crianças e adolescentes acusados de pequenos delitos. Antes de ser esquecido, este episódio da ditadura chocou a sociedade e virou um marco da violência policial. O filme conta com opção de sessão com libras, audiodescrição e legendas descritivas em português.

Mostra Contemporânea | Curta – Foi um tempo de poesia, do cineasta Petrus Cariry. A partir de um material inédito filmado em Super-8, o poeta Patativa do Assaré nos conta sobre sua vida e obra. O documentário é narrado pelo diretor Petrus Cariry, lançando um olhar afetivo sobre o seu padrinho Patativa do Assaré. Quando o fim se aproxima, o que fica são as memórias que você deixa no outro. O curta tem opção de sessão com legendas descritivas em português.

Mostrinha – “As novas aventuras do Kaiser”, do diretor Marcos Magalhães. A animação é uma homenagem ao primeiro filme da história da animação brasileira. Guilherme e Olívia são dois jovens brasileiros apaixonados pela animação. Depois de ouvirem falar sobre o primeiro filme animado produzido no país, eles vão até a Biblioteca Nacional para colher informações sobre “O Kaiser”, de Álvaro Marins. Acidentalmente, no entanto, eles libertam o personagem da sua prisão centenária e agora precisam evitar que ele destrua o Centro do Rio de Janeiro com seu ímpeto belicoso. A animação conta com opção de sessão com libras, audiodescrição e legendas descritivas em português.

 “Me liga na lata – episódio 09 – Maranhão 1”, documentário dos diretores Renata Meirelles e David Reeks. Com um telefone de lata, crianças de nove Estados brasileiros, conversam entre si e criam uma cumplicidade de temas ao mesmo tempo que revelam aspectos singulares de cada região. No Maranhão, elas falam sobre a festa do Bumba meu Boi, a vida no mangue, o navegar dos barquinhos feitos da raiz do ariticum, quilhas de chumbo derretido, a tradicional prancha de tampa de geladeira, os brinquedos feitos da palha de babaçu e o passo a passo da construção até a zoada, do carrinho de boi.O filme tem opção de sessão com libras, audiodescrição e legendas descritivas em português.

“Passagem Secreta”, de Rodrigo Grota. O longaé uma divertida comédia que agrega uma série de referências aos filmes que compõem o imaginário do cinema infanto-juvenil dos anos 1980, uma mistura de ficção científica, terror e drama familiar. Os quartos cheios de pôsteres de filmes e revistas em quadrinho, o parque de diversões e seus mistérios são cenário das desventuras de Alice e a busca pela sua identidade. Repleto de divertidas referências, o longa é uma verdadeira viagem no tempo para jovens, crianças e adultos. A produção conta ainda com a atuação memorável do cantor, ator e compositor Arrigo Barnabé. A produção conta com opção de sessão com libras e audiodescrição.

Cine Escola

“Atravessa a Vida”, do cineasta João Jardim. Enquanto alunos do 3o ano do ensino público no interior do Sergipe se preparam para a prova que pode determinar o resto de suas vidas, o documentário retrata as angústias e os prazeres da adolescência através de seus gestos, inquietações e conquistas. O filme tem opção de sessão com libras, audiodescrição e legendas descritivas em português.

“O menino e o ovo”, dirigido por Juliana Capilé. Em Cuiabá, uma das capitais mais quentes do Brasil, na escola Joana escuta que é possível fritar um ovo no asfalto, de tão quente que é o chão. Proibida pela mãe de testar com os ovos de casa, a menina fará de tudo, mas nessa busca dilemas surgem e desafiam Joana a tomar uma decisão. O filme conta com opção de sessão com libras.

Debates:

Ciente da importância de proporcionar a inclusão e a reflexão para um número cada vez maior de pessoas, a 16a CineOP conta em sua programação com alguns debates e discussões com intérprete de Libras, que estão disponíveis no YouTube da Universo Produção.

Encontro de Cinema – Roda de Conversa – “O percurso de Chico Diaz em quatro décadas” – Chico Diaz foi um dos rostos e corpos mais expressivos do cinema realizado durante a década de 90 e começo dos anos 2000. Depois de início promissor nos anos 1980, foi protagonista da Retomada da produção após o fim da Embrafilme, na virada de década, e permanece presente em filmes contemporâneos dentro e fora do país nos últimos 20 anos. Bate-papo, realizado na abertura da 16a CineOP, com a participação de Chico Diaz – ator homenageado | RJ e Francis Vogner dos Reis – curador da Temática Histórica | SP. Mediação de Simone Zuccolotto – jornalista e crítica de cinema | RJ.

“Memórias entre diferentes tempos” – Quais são os pontos de contato e as distinções mais evidentes entre as atividades audiovisuais dos anos 90 e dos últimos cinco anos nos setores da realização, exibição, educação e preservação? De que modo essas encruzilhadas históricas e suas distâncias são mobilizadas pela política de modo mais amplo? Há mudanças significativas em relação a como os anos recentes e os anos 90 operaram na relação entre cinema, educação, preservação e gestão pública no audiovisual? Debate inaugural com a presença de Alfredo Manevy– professor e pesquisador | SP, Inês Teixeira – pesquisadora e professora | MG e Laura Bezerra– professora de Política e Gestão da Cultura/UFRB | BA. A mediação foi de  Clarisse Alvarenga – curadora da Temática Educação | MG.

“Oficinas de vídeo: tradições e transformações” – Na década de 1990, surgiram câmeras de filmar suficientemente leves e acessíveis e que, associadas ao contexto social e político da época, possibilitaram uma série de propostas formativas de oficinas de vídeo envolvendo o cinema e os movimentos sociais. Além de pioneiras, essas propostas produziram consequências que foram importantes para a disponibilização da linguagem audiovisual a setores da sociedade que até então não tinham acesso à produção cinematográfica. Debate da Temática Preservação, que contou com a participação de Gianne Neves Oliveira – coordenadora de projetos do Centro de Criação da Imagem Popular (Cecip) | RJ e Luiz Fernando Santoro – produtor audiovisual | SP | Mediação: Clarisse Alvarenga – curadora Temática Educação | MG.

No dia 27, domingo, às 10 horas, será realizado o debate da Temática Educação com o tema “Pedagogia do cinema e curadoria”. O problema curatorial é fundamental para atender às necessidades e decisões pedagógicas atuais. A discussão abordará a importância de disponibilizar acervos públicos digitais para atualizar o currículo e articular novos processos pedagógicos. Vamos enfocar a presença atual de acervos que vêm desde a década de 1990 e que estão se tornando disponíveis na internet, sendo uma referência para pesquisa de metodologias de práticas do audiovisual na educação. Participam do debate Ana Paula Nunes – professora da UFRB | BA e Nicolás Guzmán – programa Cero en Conducta – Universidade do Chile. A mediação será de Adriana Fresquet – curadora da Temática Educação | RJ.

SOBRE A CINEOP

Pioneira desde sua criação (2006), a enfocar a preservação audiovisual, história, educação e a tratar o cinema como patrimônio, a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto chega a sua 16a edição, de 23 a 28 de junho de 2021, no formato online e reafirma seu propósito de ser um empreendimento cultural de reflexão e luta pela salvaguarda do rico e vasto patrimônio audiovisual brasileiro em diálogo com a educação e em intercâmbio com o mundo.

Estrutura sua programação em três temáticas: preservação, história e educação. Durante seis dias de evento, o público terá oportunidade de vivenciar um conteúdo inédito, descobrir novas tendências, assistir aos filmes, curtir lives musicais, trocar experiências com importantes nomes da cena cultural, do audiovisual, da preservação e da educação, participar do programa de formação que oferece oficinas, masterclasses internacionais e debates temáticos. Tudo de graça pelo site www.cineop.com.br.

Acompanhe a 16a CineOP e o programa Cinema Sem Fronteiras 2021.

Participe da Campanha #EufaçoaMostra

Na Web: www.cineop.com.br / www.universoproducao.com.br

No Instagram: @universoproducao

No YouTube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: cineop / universoproducao

No LinkedIn: universo-produção

SERVIÇO

16a CINEOP – MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO

23 a 28 de junho de 2021

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

Patrocínio: Instituto Cultural Vale, Cedro Mineração, Cemig|Governo de Minas Gerais

Parceria Cultural: Sesc em Minas, Prefeitura de Ouro Preto, Casa da Mostra e Instituto Universo Cultural

Apoio: Universidade Federal de Ouro Preto, Parque Metalúrgico Augusto Barbosa, Rede Minas, Rádio Inconfidência, Canal Brasil e Café 3 Corações

Idealização e realização: Universo Produção

Secretaria Especial de Cultural / Ministério do Turismo / Governo Federal Pátria Amada Brasil

PROGRAMAÇÃO GRATUITA PELO SITE WWW.CINEOP.COM.BR

  • ABERTURA OFICIAL
  • EXIBIÇÃO DE FILMES – LONGAS, MÉDIAS E CURTAS
  • PRÉ-ESTREIAS E MOSTRAS TEMÁTICAS
  • MOSTRINHA
  • MOSTRA VALORES
  • SESSÕES CINE-ESCOLA
  • ENCONTRO NACIONAL DE ARQUIVOS E ACERVOS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS
  • ENCONTRO DA EDUCAÇÃO: XIII FÓRUM DA REDE KINO
  • DEBATES, DIÁLOGOS E RODAS DE CONVERSA
  • OFICINAS
  • MASTERCLASSES INTERNACIONAIS
  • EXPOSIÇÃO VIRTUAL “MEU CARTÃO POSTAL DE OURO PRETO”      
  • PERFORMANCE AUDIOVISUAL
  • SHOWS