SÉTIMA ARTE E O NOVO SHOW DE MAURÍCIO TIZUMBA EM CONEXÃO NA PROGRAMAÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA

Corre para sua tela de preferência e prepare a pipoca porque as atividades da 16a CineOP para esta sexta, dia 25, estão imperdíveis. Na programação cinematográfica ganham relevo os longas da Mostra Histórica, Contemporânea e Homenagem. Já na seleção de curtas, as Mostras Educação, Preservação e Valores. Todos os filmes podem ser acessados gratuitamente no site www.cineop.com.br. Para fechar a noite, às 21 horas, o palco do Sesc Cine Live Show recebe o multi-instrumentista mineiro Maurício Tizumba, para apresentar o seu novo trabalho “Umbanda”, com participação de Everton Coroné.

Longas-metragens

Dentro da seleção de longas, estão em destaque na Mostra Histórica | Contradições de uma formação de país, três filmes que lidam com diferentes séculos da formação brasileira, do século XVII ao XX, tendo personagens femininas fortes como condutoras da investigação especulativa sobre o passado do país.

A ficção “Amélia”, da diretora Ana Carolina, é livremente inspirada na visita de Sarah Bernhardt ao Brasil em 1905. A divina Sarah, em crise pessoal e profissional, é influenciada por sua fiel camareira brasileira, Amélia, a apresentar Tosca no Rio de Janeiro. No dia do desembarque, Amélia morre de febre amarela e a lendária atriz passa a conviver com as “exóticas” irmãs de sua querida auxiliar.

O drama “Brava gente brasileira”, de Lúcia Murat, se passa no Pantanal em 1778. Um grupo de soldados acompanha Diogo, cartógrafo recém-chegado, enviado pela Coroa Portuguesa para fazer um levantamento topográfico da região. A tropa se encaminha para o Forte Coimbra, que vive em guerra com os índios cavaleiros, com os quais os portugueses tentam selar um acordo de paz.

Em “Carlota Joaquina – Princesa do Brazil”, a diretora Carla Camurati, conta a história da infanta espanhola Carlota Joaquina que é prometida a D. João VI aos 10 anos de idade. Obrigada a partir para Portugal, Carlota sofre uma grande decepção ao encontrar seu “prometido” príncipe. Com a morte de D. José, Carlota Joaquina e D. João VI herdam a Coroa Portuguesa. Porém, assustados com a Revolução Francesa e a aproximação do exército de Napoleão, resolvem fugir para sua colônia: o Brasil.

Mostra Contemporânea | Indígenas e as Imagens: Entre o Passado e o Presente – filmados por indígenas ou que trabalham a partir das imagens de povos e personagens indígenas, a Mostra Contemporânea exibirá três filmes.

O documentário “Xadalu e o Jaguaretê”, dirigido por Tiago Bortolini de Castro e Ariel Kuaray Ortega (co-direção), acompanha o intercâmbio entre o artista urbano mestiço Xadalu e o cineasta da etnia Mbya Guarani Ariel Kuaray Ortega. Como parte de sua busca artística, Xadalu parte para uma imersão em território Guarani, acompanhado de Ariel. Unidos na mesma luta pela causa indígena, Xadalu e Ariel cruzam por lugares e experiências especiais, enquanto a relação entre eles evolui e se transforma.

Assinada pelos cineastas Alberto Álvares e Cristina Flória, a produção “Kunhangue Arandu – A sabedoria das mulheres” revela o universo das mulheres indígenas Guarani em sua luta pela transmissão e perpetuação de sua cultura, e as formas de resistência para manter o nhandereko, o modo de ser Guarani. O filme foi realizado na terra indígena Jaraguá, no município de São Paulo, nas aldeias Tekoa Ytu, Tekoa Pyau, Tekoa Itakupe, Tekoa Yvy Porã e Tekoa Ita Endy.

Denunciar o massacre histórico contra as populações indígenas. Essa é a narrativa proposta em “O índio cor de rosa contra a fera invisível – a peleja de Noel Nutels”, com direção de Tiago Carvalho. Entre as décadas de 40 e 70, o médico sanitarista Noel Nutels percorreu o Brasil tratando da saúde de indígenas, ribeirinhos e sertanejos e filmou muitas de suas expedições em filmes de 16mm. Imagens inéditas do seu acervo e o único registro de sua voz se unem neste documentário histórico.

Mostra Homenagem – dedicada a carreira do ator Chico Diaz, a Mostra Homenagem nesta sexta põe em evidência a ficção “Corisco & Dadá”, dirigida por Rosemberg Cariry. O Capitão Corisco, cognominado de Diabo Loiro, reputado pela sua crueldade, sua valentia e sua beleza, rapta Dadá, quando ela tinha 12 anos de idade, condenando-a a difícil vida do cangaço. A partir daí, a vida de Corisco se transforma por completo.

Curtas-metragens

Mostra Contemporânea – a sessão Cine-Teatro incluios curtas: “Igual/Diferente/Ambas/Nenhuma”, troca de videocartas entre as cineastas Fernanda Pessoa e Adriana Barbosa; “Rocio das Vagas”, de Rodrigo Faustini, que alterna ruídos de rádio com imagens em preto e branco de banhistas; “Não se Pode Abraçar uma Memória”, de Pedro Tavares, que resgata imagens de chegadas de partidas de navios, bondes, trens e carros para falar de afetos perdidos; “Desvio”, de Flora Nakazone, realizado no Instituto de Artes da Unicamp em Super-8 registrados nos anos 1970; “No Verso tem um Céu”, de Jonta Oliveira, sobre memórias de juventude; e “Zona Abissal”, de Luísa Marques e Darks Miranda, distopia sobre fogo e destruição de um mundo em colapso.

Mostra Educação – Apresenta trabalhos audiovisuais de todo o Brasil que se relacionam à temática, produzidas em contexto escolar ou utilizadas numa relação pedagógica com alunos. São mais de 20 títulos, com proposições vindas a partir da temática “Das ruínas às utopias: processos de criação audiovisual e metodologias de ensino”. Além disso, a Mostra Educação conta ainda com três curtas do Projeto Cero En Conducta e outros títulos do Projeto Escuela ao Cine. A programação completa da Mostra Educação está disponível no link: https://cineop.com.br/todos-os-filmes/mostra-educacao/

Mostra Preservação – Selecionados do acervo Arquivo Nacional especialmente para a exibição na CineOP, a Mostra Preservação apresenta o documentário biográfico sobre Marechal Cândido Rondon e uma edição do cinejornal “Revista da Tela”.

Mostra Valores – Realizada nesta edição da CineOP em parceria com a Prefeitura Municipal e pela TV UFOP, promove a exibição de filmes que evidenciam a cultura e a tradição da cidade patrimônio. Está em destaque nesta sexta, o documentário “Bordando o Patrimônio – Costurando Memórias”, do diretor Fabiano Souza, que registra o ofício das bordadeiras e rendeiras, como bem imaterial da cidade histórica.

Uma reverência à ancestralidade africana

Para agitar a noite desta sexta, às 21 horas, o palco do Sesc Cine Live Show abre espaço para o cantor, compositor e multi-instrumentista mineiro Maurício Tizumba, que apresenta o seu novo projeto “Umbanda”. O trabalho rompe os limites ocidentais entre o sagrado e o profano, mostrando que o corpo que canta, toca e dança está em oração. Com arranjos de Everton Coroné, o repertório une músicas tradicionais, já incorporadas à cultura popular brasileira, com canções de autoria do próprio Tizumba e de outros artistas mineiros, como Sérgio Pererê.

SOBRE A CINEOP

Pioneira desde sua criação (2006), a enfocar a preservação audiovisual, história, educação e a tratar o cinema como patrimônio, a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto chega a sua 16a edição, de 23 a 28 de junho de 2021, no formato online e reafirma seu propósito de ser um empreendimento cultural de reflexão e luta pela salvaguarda do rico e vasto patrimônio audiovisual brasileiro em diálogo com a educação e em intercâmbio com o mundo.

Estrutura sua programação em três temáticas: preservação, história e educação. Durante seis dias de evento, o público terá oportunidade de vivenciar um conteúdo inédito, descobrir novas tendências, assistir aos filmes, curtir lives musicais, trocar experiências com importantes nomes da cena cultural, do audiovisual, da preservação e da educação, participar do programa de formação que oferece oficinas, masterclasses internacionais e debates temáticos. Tudo de graça pelo site www.cineop.com.br.

Acompanhe a 16a CineOP e o programa Cinema Sem Fronteiras 2021.

Participe da Campanha #EufaçoaMostra

Na Web: www.cineop.com.br / www.universoproducao.com.br

No Instagram: @universoproducao

No YouTube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: cineop / universoproducao

No LinkedIn: universo-produção

SERVIÇO

16a CINEOP – MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO

23 a 28 de junho de 2021

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

Patrocínio: Instituto Cultural Vale, Cedro Mineração, Cemig|Governo de Minas Gerais

Parceria Cultural: Sesc em Minas, Prefeitura de Ouro Preto, Casa da Mostra e Instituto Universo Cultural

Apoio: Universidade Federal de Ouro Preto, Parque Metalúrgico Augusto Barbosa, Rede Minas, Rádio Inconfidência, Canal Brasil e Café 3 Corações

Idealização e realização: Universo Produção

Secretaria Especial de Cultural / Ministério do Turismo / Governo Federal Pátria Amada Brasil

PROGRAMAÇÃO GRATUITA PELO SITE WWW.CINEOP.COM.BR

  • ABERTURA OFICIAL    
  • EXIBIÇÃO DE FILMES – LONGAS, MÉDIAS E CURTAS
  • PRÉ-ESTREIAS E MOSTRAS TEMÁTICAS
  • MOSTRINHA
  • MOSTRA VALORES
  • SESSÕES CINE-ESCOLA
  • ENCONTRO NACIONAL DE ARQUIVOS E ACERVOS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS
  • ENCONTRO DA EDUCAÇÃO: XIII FÓRUM DA REDE KINO
  • DEBATES, DIÁLOGOS E RODAS DE CONVERSA
  • OFICINAS
  • MASTERCLASSES INTERNACIONAIS
  • EXPOSIÇÃO VIRTUAL “MEU CARTÃO POSTAL DE OURO PRETO”     
  • PERFORMANCE AUDIOVISUAL
  • SHOWS