CRISE NA CINEMATECA BRASILEIRA DEVE SER PENSADA A CURTO E MÉDIO PRAZO COM BUSCA POR ESTABILIDADE POLÍTICA, DIZEM PRESERVADORES

Num evento como a CineOP, que prioriza o debate sobre a preservação, era inevitável que o maior órgão do setor no país fosse um dos assuntos principais. O debate “Instituições de patrimônio em risco: Caso Cinemateca Brasileira” levou ao público uma informativa conversa sobre o atual estado da Cinemateca, no momento em que ela vive sua maior crise, provocada pelo esvaziamento do quadro de funcionários e de quaisquer políticas públicas em âmbito nacional.

“É um momento de grande apreensão: o local está fechado, e os funcionários estão sem acesso porque foram demitidos. Com o calor absurdo que faz atualmente em São Paulo, eu temo pelo acervo, que depende de controles de temperatura muito assegurados”, alertou Carlos Augusto Calil, ex-diretor executivo da instituição.

Com o fim do contrato de administração que sido firmado com a Fundação Roquette Pinto, a Cinemateca foi realocada sob a guarda da Secretaria do Audiovisual, vinculada à Secretaria Especial de Cultura, e segue sem liderança ou qualquer aceno federal sobre o que será do local – que guarda centenas de filmes, documentos, publicações e significativa fatia da memória do cinema brasileiro.

Fundada no final dos anos 1940 por um movimento da sociedade civil capitaneado pelo ensaísta e escritor Paulo Emílio Sales Gomes, o órgão passou para administração do Estado em 1984. Desde então, conforme Débora Butruce, presidente da ABPA (Associação Brasileira de Preservação Audiovisual), nunca houve um concurso público para preencher as funções técnicos. “Como o quadro de servidores não foi renovado, ele foi sendo preenchido por terceirizados ao longo do tempo”, disse ela.

O problema, para Butruce, é que essa situação cria uma constante incerteza e instabilidade administrativa, podendo se alterar bruscamente de acordo com os humores do governante. “Que instituição queremos para o futuro? Precisamos lidar com a situação emergencial da Cinemateca e isso é fundamental, mas é necessário também pensar que modelo de gestão estamos buscando. Uma instituição de patrimônio precisa de estabilidade em suas ações”, frisou.

Também na mesa, Fabiana Ferreira, servidora do Instituto Brasileiro de Museus, exaltou a importância de se tomar as decisões políticas e trabalhar para quem um órgão da envergadura da Cinemateca seja considerado dentro de uma estrutura maior de preservação. “É fundamental estarem no debate os cineastas e produtores de filmes e ainda  profissionais de arquivos e bibliotecas, das universidades e de museologia e biblioteconomia, juntando todas essas áreas”.

SOBRE A 15ª CINEOP – MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO

Idealizada e realizada pela Universo Produção em edições anuais e consecutivas, a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto é uma mostra audiovisual que estrutura sua programação em três temáticas de atuação: preservação, história e educação. Chega a sua 15ª edição, de 3 a 7 de setembro de 2020, reafirmando o propósito de ser instrumento de reflexão e luta pela salvaguarda do patrimônio audiovisual brasileiro em diálogo com a educação e em intercâmbio com o mundo – centra o foco no cinema como patrimônio, na história, memória em interface com o cinema contemporâneo e ações educacionais.

***

ATENÇÃO:

Como o formato do evento é digital, convidamos você para seguir a Universo Produção/CineOP nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que vai acontecer nos bastidores da CineOP, acompanhar a evolução e notícias do evento, receber conteúdos exclusivos sobre a 15ª edição da CineOP. Canais e endereços:

Na Web: www.cineop.com.br

No Instagram: @universoproducao

No Youtube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: cineop / universoproducao

No LinkedIn: universo-produção

Informações pelo telefone: (31) 3282-2366

Acompanhe o programa Cinema Sem Fronteiras 2020.

Participe da Campanha #eufaçoaMostra

***

SERVIÇO

15ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto | 3 a 7 de setembro de 2020

Lei  Federal de Incentivo à Cultura

Patrocínio: Petra e Codemge|Governo de Minas Gerais

Parceria Cultural: Sesc em Minas, Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP

Apoio: Café 3 Corações, Rede Minas, Rádio Inconfidência, Instituto Universo Cultural

Idealização e realização: Universo Produção

Secretaria Especial de Cultura | Ministério Do Turismo | Governo Federal

* Sintese da Programação

  • ABERTURA OFICIAL
  • EXIBIÇÃO DE FILMES – LONGAS, MÉDIAS E CURTAS
  • PRÉ-ESTREIAS E MOSTRAS TEMÁTICAS
  • MOSTRINHA
  • MOSTRA VALORES
  • SESSÕES CINE-ESCOLA
  • ENCONTRO NACIONAL DE ARQUIVOS E ACERVOS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS
  • ENCONTRO DA EDUCAÇÃO: XII FÓRUM DA REDE KINO
  • DEBATES
  • OFICINAS
  • MASTERCLASSES INTERNACIONAIS
  • EXPOSIÇÃO CINEOP 15 ANOS
  • ENCONTROS DE CINEMA | RODAS DE CONVERSA
  • PERFORMANCE AUDIOVISUAL
  • LIVE SHOWS