MOSTRA HISTÓRICA: CONHEÇA OS FILMES DA CINEOP

Avesso Festa Baile, de Tadeu Jungle está disponível na CineOP

A televisão completa 70 anos de transmissão no Brasil, e a CineOP vai refletir de que maneira um veículo de comunicação de massa efêmero e dispersivo teve, ao longo do período, momentos de invenção e ousadia que permanecem referenciais no audiovisual. O recorte feito pelo curador Francis Vogner dos Reis atravessa os últimos 40 anos com objetivo de pensar parte da intrincada trama que nos trouxe até este momento político, social e midiático em que estamos.

Assim, o destaque é de programas e iniciativas que quebraram a linguagem mais convencional trabalhada pela TV nesses anos todos. Produções feitas para consumo doméstico que, de tão singulares, hoje soam como criações modernas e de vanguarda. Um caso forte é a atuação de cineastas com trajetórias importantes na televisão no fim dos anos 1970 e início dos 80, em especial no “Globo Repórter” entre 1975 e 1979. A CineOP vai resgatar duas reportagens dessa época que se tornaram marcos: “Theodorico, o Imperador do Sertão” (1978), de Eduardo Coutinho; e “Wilsinho Galiléia” (1978), de João Batista de Andrade.

Outro exemplar diretamente dos canais abertos, “Os Arara” (1980-81) seria um documentário para a TV Bandeirantes, mas o diretor Andrea Tonacci se desentendeu com a emissora. O projeto permaneceu e se tornou referencial na abordagem de comunidades e vivências indígenas e no impacto da Transmazônica em grupos isolados.

Destaque especial da Mostra Histórica em 2020, a TVDO foi iniciativa de um coletivo de São Paulo que apostou na radicalidade estética, em sua condição de vídeo, na suspensão de fronteiras entre arte, comunicação, cinema e poesia, na metalinguagem e no humor corrosivo e disruptivo. Os vídeos selecionados para o espectador da CineOP conhecer a TVDO são: “Mocidade Independente” (1982), episódio de programa para a TV Bandeirantes; “Quem Kiss Teve” (1983), piloto de um programa que não foi continuado; “Avesso Festa Baile” (1984), episódio de programa da TV Cultura proibido de ser exibido na época; e “Heróis 2” (2003), um de seus últimos e mais significativos trabalhos e que integra um projeto iniciado ainda em 1987.

A ABVP (Associação Brasileira de Vídeo Popular) chegou a agregar 250 organizações, entre elas a TV Viva, de Olinda, e a TV Maxambomba, do Rio de Janeiro, que estarão com trabalhos em exibição na Mostra. A TV Viva retratava a realidade cotidiana dos bairros de Olinda, exibindo esses trabalhos em telões que circulavam por Recife. Os vídeos na CineOP são “Amigo Urso” (1985), que faz humor com a pergunta “todo brasileiro é corno?”, questionada ao acaso pelas ruas; e “Brasilino” (1985), no qual dois repórteres conversam, de maneira irreverente, com várias pessoas questionadas sobre os rumos do Brasil no pós-ditadura.

Por sua vez, a TV Maxambomba, na Baixada Fluminense, fomentou o projeto de TV comunitária ao mobilizar os moradores da região a produzirem vídeos tratando do cotidiano e de suas questões, com intuito de serem exibidos em praças públicas de 40 bairros. “Eleições Lindomar Ribeiro” (1990) e “Um Preto Velho Chamado Catoni” (1998), com suas provocações na política e na sociedade, trafegando entre a realidade e a ficção, são exemplos do tipo de produção que a Maxambomba realizava.

Já os filmes “TV Cubo 1 e 2” (1986 e 1987), de Marcelo Masagão, é a gravação de uma transmissão de TV pirata, e foi ao ar pelo da zona Oeste da cidade de São Paulo, que antes tinha feito interferências em canais convencionais como a TV Cultura e o SBT com um recado aos “tele humanos”. O experimento é original e sucede a experiência de Masagão na rádio anarquista Xilique no ano anterior.

Ainda integram a Mostra Histórica “Avenida Brasilia Formosa” (2010), de Gabriel Mascaro; “Olho de Gato Perdido” (2009), de Vitor Graize; e “A Luta do Povo” (1980), de Renato Tapajós.

 

Mocidade Independente

SOBRE A 15ª CINEOP – MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO

Idealizada e realizada pela Universo Produção em edições anuais e consecutivas, a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto é uma mostra audiovisual que estrutura sua programação em três temáticas de atuação: preservação, história e educação. Chega a sua 15ª edição, de 3 a 7 de setembro de 2020, reafirmando o propósito de ser instrumento de reflexão e luta pela salvaguarda do patrimônio audiovisual brasileiro em diálogo com a educação e em intercâmbio com o mundo – centra o foco no cinema como patrimônio, na história, memória em interface com o cinema contemporâneo e ações educacionais.

***

ATENÇÃO:

Como o formato do evento é digital, convidamos você para seguir a Universo Produção/CineOP nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que vai acontecer nos bastidores da CineOP, acompanhar a evolução e notícias do evento, receber conteúdos exclusivos sobre a 15ª edição da CineOP. Canais e endereços:

Na Web: www.cineop.com.br

No Instagram: @universoproducao

No Youtube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: cineop / universoproducao

No LinkedIn: universo-produção

Informações pelo telefone: (31) 3282-2366

Acompanhe o programa Cinema Sem Fronteiras 2020.

Participe da Campanha #eufaçoaMostra

***

SERVIÇO

15ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto | 3 a 7 de setembro de 2020

Lei  Federal de Incentivo à Cultura

Patrocínio: Petra, Cemig e Codemge|Governo de Minas Gerais

Parceria Cultural: Sesc em Minas, Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP

Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA| MINISTÉRIO DO TURISMO | GOVERNO FEDERAL

 

* Sintese da Programação

 

  • ABERTURA OFICIAL
  • EXIBIÇÃO DE FILMES – LONGAS, MÉDIAS E CURTAS
  • PRÉ-ESTREIAS E MOSTRAS TEMÁTICAS
  • MOSTRINHA
  • MOSTRA VALORES
  • SESSÕES CINE-ESCOLA
  • ENCONTRO NACIONAL DE ARQUIVOS E ACERVOS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS
  • ENCONTRO DA EDUCAÇÃO: XII FÓRUM DA REDE KINO
  • DEBATES
  • OFICINAS
  • MASTERCLASSES INTERNACIONAIS
  • EXPOSIÇÃO CINEOP 15 ANOS
  • ENCONTROS DE CINEMA | RODAS DE CONVERSA
  • PERFORMANCE AUDIOVISUAL
  • LIVE SHOWS