RODAS DE CONVERSA, MESAS TEMÁTICAS, ENCONTROS DE CINEMA, DE ARQUIVOS E DE EDUCAÇÃO REÚNEM 75 PROFISSIONAIS NO CENTRO DE 25 DEBATES

De 3 a 7 de setembro, a 15a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto promove  em ambiente virtual, uma programação intensa e gratuita de debates ao vivo com foco na preservação, história e educação

Em sua 15a edição, a ser realizada entre 3 e 7 de setembro, a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto adota a temática central “Cinema de Todas as Telas”, que vai permear as exibições e discussões ao longo da programação. Dedicada a refletir o cinema como patrimônio, a mostra tem em seus eixos as Temáticas Preservação, História e Educação que além da exibição de filmes promove  debates, estudos de caso, diálogos e encontros de cinema com participação de profissionais brasileiros e internacionais.

A programação tem início às 20h do dia 3/09, quinta-feira, com o Debate Inaugural “Cinema de Todas as Telas”, que marca a abertura oficial do Seminário, do 15º Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros e do Encontro da Educação: XII Fórum da Rede Kino. Na mesa, o filósofo Ailton Krenak (destaque da Temática Educação) e o roteirista e diretor de cinema, TV e Realidade Virtual Tadeu Jungle (integrante da TVDO, destaque da Temática Histórica) vão conversar sobre este momento em que vivemos, em que a televisão completa 70 anos no Brasil, sendo ainda o maior meio de comunicação no país em contraste com  a busca pela convergência com plataformas digitais, que neste momento de isolamento também servem ao teatro, à música e ao cinema. A mediação fica a cargo dos curadores Francis Vogner dos Reis e Clarisse Alvarenga.

 

Ailton Krenak é um dos destaques da CineOP

Ailton Krenak é um dos destaques da CineOP

 

Inscreva-se gratuitamente para receber as informações em primeira mão

ENCONTRO NACIONAL DE ARQUIVOS E ACERVOS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS

Na Temática Preservação, a dupla de curadores José Quental e Ines Aisengart Menezes propôs o conceito de “Patrimônio Audiovisual: Acervos em risco e novas formas de difusão”, tendo por eixo a produção televisiva como elemento central na formação cultural da sociedade brasileira. Os Encontros de Arquivos vão reunir dezenas de profissionais do setor para discutirem o assunto e também as perspectivas diante das atuais dificuldades impostas pelo poder público.

O tema estará no centro da mesa “A preservação na televisão brasileiro: desafios e acesso”, que vai debater como as emissoras de TV do país vêm gerenciando seus acervos e como a preservação, em diferentes níveis, participam do fluxo de trabalho dessas empresas. Participam Adriano Medeiros (cineasta e professor da UFOP), Luciana Savaget (jornalista, editorachefe do Arquivo N na Globonews), Paula Saldanha (jornalista, ambientalista e presidente do Instituto Paula Saldanha) e Zico Goes (diretor de desenvolvimento Canais FOX).

As preocupações com a preservação no digital vão estar no centro do debate “A atuação dos arquivos brasileiros no mundo digital”, com Adauto Cândido Soares (coordenador de Comunicação e Informação da UNESCO), Ana Farache (coordenadora do cinema e da Cinemateca Pernambucana da Fundação Joaquim Nabuco), Carolina Alves (coordenadora do Programa de Arquivos Pessoais do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas) e Felipe Rocha (coordenador de acervo – Museu da Pessoa). A pandemia evidenciou a vulnerabilidade do patrimônio audiovisual brasileiro digital, tanto para sua difusão quanto para preservação. A mesa vai levantar quais são as ações de disponibilização de filmes e documentos audiovisuais nas redes nesse momento, os requisitos de infraestrutura e corpo técnico e as implicações legais e éticas para uma difusão mais ampla e de qualidade de conteúdo na internet.

Instituições e iniciativas internacionais de preservação de acervos também ganham mesas de conversa na Temática Preservação da CineOP. Mais uma vez haverá a exposição da FIAF (Federação Internacional de Arquivos de Filmes), entidade criada em 1938 e atualmente reunindo 171 arquivos e cinematecas do mundo todo. Christophe Dupin, administrador sênior da FIAF, vai falar sobre as formas de atuação da Federação num contexto de inédita crise mundial.

Por sua vez, a Cinemateca Portuguesa será representada por Tiago Baptista, diretor do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento e do Centro de Conservação da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema. Ele vai compartilhar suas reflexões sobre as ações da instituição no mundo digital e os impactos da pandemia em seu funcionamento.

Pelo Brasil, a Cinemateca Brasileira, diante da maior crise na sua história, vai ter uma mesa inteiramente dedicada à sua atual dramática situação. Participam Carlos Augusto Calil (ex-diretor executivo da Cinemateca), Débora Butruce (preservadora audiovisual e vice-presidente da ABPA) e Fabiana Ferreira (Instituto Brasileiro de Museus/Ministério do Turismo).

Mais uma presença internacional nos Encontros de Arquivo será de Paula Félix Didier, diretora do Museo del Cine Pablo Ducros Hicken, na Argentina. Ela vai falar sobre sua experiência na instituição e as perspectivas de um espaço considerado de excelência no campo do patrimônio audiovisual por conta de seu acervo e das estratégias expositivas.

Nas exibições de filmes, o estudo de caso da Mostra Preservação em 2020 será “Pixote, a Lei do Mais Fraco” (Hector Babenco, 1981), que será mostrado em sua versão restaurada e depois debatido, inclusive sobre como se deu a revitalização do filme, numa mesa com a participação de Myra Babenco (diretora da HB Filmes), Patrícia De Filippi (restauradora) e Roberto Gervitz (cineasta).

ENCONTRO DA EDUCAÇÃO: XII FÓRUM DA REDE KINO

No XII Fórum da Rede Kino: Rede Latino-americana de Educação, Cinema e Audiovisual, que anualmente reúne na CineOP educadores do país inteiro para discutir e apresentar metodologias de ensino através do audiovisual, os formatos remotos de aprendizado estarão em pauta, sob o tema “Telas e Janelas: Tempo de cuidado, delicadeza e contato”, proposto pelas curadoras Adriana Fresquet e Clarisse Alvarenga.

No encontro “TV, rádio e vídeo na educação”, Marília Franco (professora), Marcus Tavares (gerente de formação, TV Escola, RJ) e Renata Tupinambá (Rádio Yandê) conversam sobre as trajetórias dessas três redes educativas no Brasil, com suas características singulares e seus objetivos.

Por sua vez, a mesa “Mídia nas aldeias” reúne Graciela Guarani (professora e cineasta, PE), Michele Kaiowá (professora e cineasta, MS), Patrícia Ferreira Pará Yxapy (professora e cineasta, RS) e Sophia Pinheiro (cineasta, GO) para discutir o uso dos dispositivos móveis no cotidiano da pandemia para cineastas e educadores e a elaboração de canais de diálogo afetivo em meio ao isolamento social, inclusive nas aldeias Guarani. Essa mesa tem relação direta com a sessão de médias-metragens do projeto Nehemongueta Kunhã Mbaraete, que consiste na troca de vídeo-cartas entre as professoras e suas experiências pessoais da perspectiva indígena e não-indígena.

Os Encontros da Educação contam ainda com a exibição de projetos audiovisuais educativos que vinculam telas e janelas para ver o mundo em tempo da quarentena. São 3 sessões com 11 trabalhos selecionados especialmente para a CineOP e comentados e discutidos ao vivo. Outra série são os 37 curtas-metragens produzidos no Brasil por educadores, estudantes e cineastas no contexto escolar e espaços não-formais de ensino, que serão também exibidos e comentados.

A tradicional mesa Um plano de cinema, um plano de aula“, que acontece todo ano com convidados distintos, tem em 2020 a cineasta Cristina Amaral e a professora Licinia Correa para aproximarem as experiências de cada uma no trabalho com filmes e com educação.

Nos destaques internacionais, a masterclass de Carlos Skliar (investigador principal do Instituto de Investigaciones Sociales de América Latina, Argentina) vai tratar de “Cinema e educação: tempo de delicadeza”. Skliar discute o que ele chama de “pedagogia da fragilidade” e seus impactos em tempos complexos e delicados como este em que estamos inseridos com a pandemia.

Outra presença internacional é a de Inés Dussel, pesquisadora e professora do Departamento de Investigaciones Educativas DIE-CINVESTAV, no  México. Sua masterclass será “As telas nas pedagogias da pandemia”, para tratar de como pensar formas de produção colaborativa de conhecimentos usando plataformas e redes cada vez mais controladas pelo capitalismo de vigilância.

DEBATES TEMÁTICA HISTÓRICA

Na temática histórica, o curador Francis Vogner dos Reis apresenta Televisão: O que foi, o que é e o que ainda pode ser”, como eixo central das discussões. No ano que a TV brasileira completa 70 anos, a proposta é refletir sobre formas de disputar esse território do audiovisual e seu modelo ainda forte e hegemônico, tanto no que diz respeito à produção e ao direito à informação, à expressão do imaginário e da representatividade comunitária e regional, quanto em relação à educação (como as TVs públicas, fortes mundo afora), à abertura a novas experimentações com a tecnologia audiovisual e à difusão livre e diversa de nossos bens culturais.

No debate “TV, Pós-TV e Outras Telas”, a pesquisadora  Christine Mello, o jornalista e diretor de televisão Gabriel Priolli e a cineasta Petra Costa, discutem sobre as mudanças na televisão nos últimos 40 anos, as convergências com o cinema e outras artes, até as tecnologias atuais que podem mudar o modo de difusão de comunicação, arte e entretenimento. O encontro acontece às 12h do dia 4/09, sexta.

No domingo, dia 6/09, às 12h, o tema em discussão é “Cinema, Televisão e Comunicação Popular“. Com a participação de Luara Dal Chiavon, da Brigada de Audiovisual Eduardo Coutinho – MST; Paulo Alcoforado, consultor para empresas da economia criativa, ex-diretor da Ancine e ex-coordenador executivo dos Programas DOCTV no Brasil e no exterior; e Valter Filé, professor e ex-coordenador da TV Maxambomba, a mesa pretende discutir a experiência das TVs comunitárias e iniciativas para o cinema importantes na televisão nas últimas décadas, avaliando os desafios políticos para a efetivação do direito à informação e a necessidade de disputa com a mídia tradicional do imaginário do grande público.

Confira aqui os filmes em cartaz na CineOP

ENCONTROS DE CINEMA – RODAS DE CONVERSA

As rodas de conversa representam uma parte fundamental da programação da CineOP, pois permitem ainda mais interação entre o público e os cineastas convidados. Nesta 15a edição, serão realizadas quatro Encontros de Cinema –  Rodas de Conversa com diretores sobre suas experiências e trajetórias. Os bate-papos poderão se acompanhados ao vivo pelo site da CineOP- www.cineop.com.br.

O primeiro Encontro de Cinema será na sexta-feira, dia 4 de setembro, às 18 horas, com o tema Imagens na Contramão das Narrativas Mídiáticas. A Roda de Conversa abordará as experiências distintas de cineastas que tiveram na televisão campo de atuação ou objeto de crítica em suas obras, tendo como objetivo criar formas e discursos críticos que se distinguiram das narrativas oficias da comunicação das mídias corporativas. Participam do debate Dácia Ibiapina– diretora do filme Cadê Edson?|DF e João Batista de Andrade – diretor do filme Wilsinho Galiléia| SP. A mediação será de Francis Vogner dos Reis – curador Temática Histórica |SP.

No sábado, 5 de setembro, às 12 horas, o Percurso da Tvdo será o tema do Encontro de Cinema. A Roda de Conversa abordará a trajetória e as ideias da produtora independente Tvdo, que na década de 1980 realizou algumas das intervenções estéticas e narrativas mais inovadoras no vídeo brasileiro e na televisão aberta. Participam do bate-papo os integrantes da Tvdo, Ney Marcondes, Paulo Priolli, Pedro Vieira, Tadeu Jungle e Walter Silveira. O encontro tem mediação de Marcelo Miranda – crítico de cinema |MG.

Ainda no sábado, às 18 horas, a Roda de Conversa discutirá as Diferentes Perspectivas da Criação de Personagens no Documentário. Partindo dos filmes Banquete Coutinho, Seres Coisas e Lugares e As Constituintes de 88, o debate apresentará as diferentes elaborações de personagens no cinema documentário. Participam do bate-papo os cineastas Josafá Veloso, diretor do filme Banquete Coutinho; Suzana Macedo, diretor do filme Seres, Coisas e Lugares e Gregory Baltz, diretor do filme As Constituintes de 88. A mediação será de Camila Vieira – curadora – Mostra Curtas Contemporânea.

E no domingo, 6 de setembro, às 18 horas, o Encontro de Cinema abordará a Revisão, Reconstituição ou Reapropriação de Filmes Interrompidos ou Perdidos. A Roda de Conversa discute os filmes que integram a 15a Mostra de Cinema de Ouro Preto que fazem a revisão, reconstituição ou reapropriação de imagens de filmes que foram interrompidos ou tiveram boa parte do seu material perdido. Participam do bate-papo os cineastas Petrus Cariry, diretor do filme A Jangada de Welles; Vitor Graize, diretor do filme Olho de Gato Perdido e Reinaldo Cardenuto, diretor do filme Acabaram-se os Otários. O encontro terá mediação de Camila Vieira – curadora Mostra Curtas Contemporânea.

SOBRE A 15ª CINEOP – MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO

Idealizada e realizada pela Universo Produção em edições anuais e consecutivas, a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto é uma mostra audiovisual que estrutura sua programação em três temáticas de atuação: preservação, história e educação. Chega a sua 15ª edição, de 3 a 7 de setembro de 2020, reafirmando o propósito de ser instrumento de reflexão e luta pela salvaguarda do patrimônio audiovisual brasileiro em diálogo com a educação e em intercâmbio com o mundo – centra o foco no cinema como patrimônio, na história, memória em interface com o cinema contemporâneo e ações educacionais.

***

ATENÇÃO:

Como o formato do evento é digital, convidamos você para seguir a Universo Produção/CineOP nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que vai acontecer nos bastidores da CineOP, acompanhar a evolução e notícias do evento, receber conteúdos exclusivos sobre a 15ª edição da CineOP. Canais e endereços:

 

Na Web: www.cineop.com.br

No Instagram: @universoproducao

No Youtube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: cineop / universoproducao

No LinkedIn: universo-produção

Informações pelo telefone: (31) 3282-2366

Acompanhe o programa Cinema Sem Fronteiras 2020.

Participe da Campanha #eufaçoaMostra

***

SERVIÇO

15ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto | 3 a 7 de setembro de 2020

Lei  Federal de Incentivo à Cultura

Patrocínio: Petra  e Codemge|Governo de Minas Gerais

Parceria Cultural: Sesc em Minas, Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP

Apoio: Café 3 Corações, Rede Minas, Rádio Inconfidência e Instituto Universo Cultural

Idealização e realização: Universo Produção

Secretaria Especial de Cultura| Ministério do Turismo | Governo Federal

 

* Sintese da Programação

 

  • ABERTURA OFICIAL
  • EXIBIÇÃO DE FILMES – LONGAS, MÉDIAS E CURTAS
  • PRÉ-ESTREIAS E MOSTRAS TEMÁTICAS
  • MOSTRINHA
  • MOSTRA VALORES
  • SESSÕES CINE-ESCOLA
  • ENCONTRO NACIONAL DE ARQUIVOS E ACERVOS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS
  • ENCONTRO DA EDUCAÇÃO: XII FÓRUM DA REDE KINO
  • DEBATES
  • OFICINAS
  • MASTERCLASSES INTERNACIONAIS
  • EXPOSIÇÃO CINEOP 15 ANOS
  • ENCONTROS DE CINEMA | RODAS DE CONVERSA
  • PERFORMANCE AUDIOVISUAL
  • LIVE SHOWS