A música brasileira tem a incrível capacidade de se reinventar. Ritmos se fundem, referências se misturam e surge algo novo, original. É o caso da Lamparina e a Primavera. A banda mineira traz um frescor musical único. Nos deixa aquela sensação de descobrir algo novo e vibrante. Que, de repente, faz todo o sentido. E é como se já conhecêssemos desde sempre, mas nos surpreende a cada vez que ouvimos.

Formada em 2017 pela junção de duas bandas, Lamparina e a Primavera vem de um caldeirão de influências que vão de Lenine e Nação Zumbi a Djavan e Parangolé. Tendo a cultura popular brasileira como norte e limites fluidos, o grupo mistura funk, forró, brega, maracatu e o que mais vier. Tudo nosso, tudo lindo. E o resultado é um caos harmônico, intenso, dançante e explosivo. Mas, especialmente, brasileiro.

Toda essa originalidade e força começa a transbordar as fronteiras de Minas. Lamparina e a Primavera tem se apresentado em importantes festivais, como o Meca Inhotim, o Arvo (SC), o Libélula (PR), o Transborda, e o Planeta Brasil. Cidades como Florianópolis, Rio, São Paulo e Curitiba já receberam a banda.

Lamparina e a Primavera é formada por: Coto Delamarque: guitarra, syntetizador e vocal, Marina Miglio: vocal, Hugo Zschaber: vocal e percussão, Calvin Delamarque: baixo, Stenio Ribeiro: guitarra, Fabiano Carvalho: percussão e efeitos e Thiago Groove: bateria.

 

Acesse aqui o Link direto para doações para o programa Mesa Brasil Sesc | 15ª CineOP